blog

Um pedaço da Alemanha no extremo oeste de Santa Catarina

Conheça São João do Oeste, a capital catarinense da língua alemã

Se você gosta da cultura alemã, de desbravar novos lugares pelo interior e visitar cidades mais tranquilas, não muito conhecidas: São João do Oeste é pra você.


Pórtico Municipal. Foto: Jessica Edel

Histórico
Localizado no extremo oeste de Santa Catarina, o município de São João do Oeste foi colonizado pelo Volksverein. Fundado em 1912, o grupo de colonização foi organizado por padres que chegaram ao Brasil oriundos da Europa em 1880. A entidade religiosa tinha por finalidade estabelecer imigrantes alemães e católicos do Rio Grande do Sul em novas colônias e oferecia uma melhor qualidade de vida para os colonos que saíram em conjunto na busca de terras férteis para se estabelecer.  

Liderados pelo Padre Max Von Lassberg, os Volksverein não encontraram uma área adequada para assentar a nova colônia no Rio Grande do Sul, e em 1926 seguiram na direção de Santa Catarina atravessando o Rio Uruguai e ao percorrer uma distância de mais de 150km, chegaram na região que hoje abrange os municípios de Itapiranga, Tunápolis e São João do Oeste, onde foi fundada a colônia de Porto Novo. Na época, o grupo de católicos tomou posse da área e a dividiu em colônias, sítios e terrenos que poderiam ser comprados somente por alemães e católicos. O objetivo era que a comunidade preservasse as origens da cultura alemã.

 

No início da colonização faltavam materiais para a construção de edificações em alvenaria, porém a abundância em madeira (grápia, cabriúva e loro), fizeram com que os imigrantes realizassem a extração deste material, para comercialização e construção de suas próprias residências, utilizando a arquitetura enxaimel (técnica de construção utilizada há séculos pelos alemães e trazida para a região pelos colonizadores). 

Pertencente à antiga Colônia de Porto Novo, São João se tornou um município independente após o decreto da lei estadual nº 8475, de 12 de dezembro de 1991, ocorrendo então a sua emancipação. No ano seguinte, em 1992, passou a ser então chamado de São João do Oeste. Seu povo tem como gentílico, são-joanense. 

Município jovem, com 29 anos desde a sua emancipação São João do Oeste é conhecida como a Capital catarinense da língua alemã, onde cerca de 95% da população local fala o idioma. A cidade começou a investir recentemente no turismo, o qual está se desenvolvendo e atraindo pessoas de diferentes regiões para conhecer sua cultura e belezas.

 

 

Igreja Matriz São João Berchmans – O cartão Postal de São João do Oeste

 

Um dos mais importantes símbolos da colonização alemã em São João do Oeste, a Igreja Matriz São João Berchmans é uma linda edificação construída toda em madeira por imigrantes alemães.

O início do planejamento de construção da Igreja Matriz São João Berchmans se deu no ano de 1943 e a inauguração aconteceu em 1948. Três anos mais tarde, em 1951, foi elevada à categoria de paróquia.



 

Fachada Lateral, 1950. Fonte: Casa da Cultura de São João do Oeste. apud patrimonioaltouruguai.blogspot.com
 

 

 


 

 

Fachada Frontal, 1950. Fonte: Casa da Cultura de São João do Oeste. apud patrimonioaltouruguai.blogspot.com

 

A edificação segue o modelo arquitetônico dos templos construídos na Europa, na época, havia madeira em abundância na região, e por essa razão foi a matéria prima utilizada na construção. Seu tamanho impressiona, Sua torre tem 28 metros de altura, possui capacidade para até 516 pessoas sentadas  e sua planta retangular possui as consideráveis medidas de 38mx14m, totalizando 532m².  Não é a toa que a Igreja Matriz São João Berchmans carrega o título de maior igreja construída em madeira da América Latina.












Ao lado de fora há um campanário que abriga dois sinos com 600 e 1000 quilos vindos da alemanha no ano de 1956. O campanário em estrutura enxaimel, foi construído em virtude da impossibilidade de alocar dois sinos na torre da igreja,  que suportava somente 300 kg. Na época foram encomendados pelo Padre Afonso Hansen, o qual tinha uma importante influência política no município e na Alemanha, seu país de origem. A Igreja São João Berchmans está localizada na área central do município, na praça municipal.

Sinos

Em maio de 1956, São João do Oeste recebeu um conjunto de 05 (cinco) sinos que vieram da cidade de Bochum na Alemanha, importados pelo Padre Afonso Hansen. Na época, a torre construída da Igreja Berchmans suportava até 300 quilos e não era suficiente para abrigar nenhum dos sinos. A solução encontrada, foi construir um campanário na área externa à igreja, seguindo a técnica enxaimel da igreja matriz, e colocar ali os dois sinos distintos: um que pesa 600 kg e o outro pesando uma tonelada. Os demais sinos foram distribuídos entre outras comunidades. Dois foram destinados para as comunidades que ainda não tinham nenhum sino, no caso Catres (atual município de Mondaí), São Pedro (atual município de Tunápolis) e, o menor de 400 kg foi instalado em Fortaleza no interior do município de São João do Oeste. Todos os sinos estão em funcionamento.


Sinos de 600 e 1000 quilos estão no campanário ao lado da igreja São João Berchmans. Foto: Jessica Edel

Praça da Matriz

Localizada na avenida principal da cidade e em frente a igreja matriz, a praça é ponto de encontro das famílias e jovens do município. O local é palco de importantes eventos culturais como a tradicional Deutsche Woche, tradicional festa alemã que relembra e celebra os costumes de sua origem. A praça da matriz possui rede Wifi aberta para que qualquer pessoa possa se conectar, levando em consideração que o sinal de telefonia (pelo menos Claro e Tim) não é muito bom, este investimento é de extrema importância para os visitantes.





Cartão postal de São João do Oeste, o letreiro com a Igreja São João Berchmans ao fundo é parada obrigatória para tirar belas fotos. Foto: Jessica Edel

Museu municipal

Com cerca de 400 peças em seu acervo, o museu municipal fica no mesmo espaço que o centro de atendimento ao turista. Inclusive, é a dona Rejane Welter que auxilia os turistas com todas as informações. Todos os itens expostos foram doados por famílias da comunidade e são identificados com nome, funcionalidade e um resumo sobre a família que fez a doação. Toda a exposição possui itens históricos que retratam o modo de vida e o trabalho dos imigrantes e têm por objetivo preservar a memória e história do município.

A casa histórica onde hoje funciona o museu veio do interior do município, pertenceu ao professor Henrique Koerbes e foi uma doação da família para a cidade.

 Recentemente foi instalado junto ao museu um Centro de Atendimento ao Turista, onde os visitantes vão encontrar todas as informações a respeito da cultura local e dos atrativos do município. O Museu atende de segunda a sexta-feira das 7h30 às 11h30 e das 13h15 às 17h15 e em feriados das 9h às 11h. 



Fotos: Jessica Edel / Blog Notas de Viagem

 

Gruta Nossa senhora de Lourdes
Está localizada em meio à mata nativa na estrada geral de Linha Fortaleza, próxima ao Thermas São João. Um lugar de paz e tranquilidade, a Gruta está em meio à natureza onde passa um riacho com águas límpidas. No local também há bancos onde é possível descansar e praticar sua fé.  Foi construída em 1954 pela Congregação Masculina São Mariana.


Fotos: Jessica Edel / Blog Notas de Viagem

 

Cascata Palmeiras

Localizada no interior do município, na comunidade de Linha Palmeiras, a Cascata Palmeiras é uma beleza natural em meio à mata nativa. A queda d'água forma um poço com aproximadamente 05 metros de profundidade, há uma pinguela de madeira que permite que os visitantes possam vislumbrar as belezas do local. A Cascata Palmeiras é um refúgio para os dias quentes de verão.


Foto: Reprodução Prefeitura SJO

 

Termas São João

O local chega a receber mais de 70 mil turistas durante o ano, que chegam até São João do Oeste com destino ao parque termal. A água que abastece as piscinas sai do poço a 52º C e é considerada uma das águas termais mais quentes do Brasil além das propriedades terapêuticas presentes em sua composição.  O local tem infraestrutura completa com atividades para crianças e adultos, conta com esportes de aventura, trilha, cachoeira, área para camping com churrasqueiras, uma enorme área verde, bosque, lagos artificiais, pequenos animais, passeios a cavalo, pesque e pague, bikes, bar molhado, piscinas abertas e cobertas, área de eventos, quadra de tênis, boliche eletrônico e outras atividades. Além disso oferece serviço de alimentação com restaurante, bistrô, cantinas, sorveteria, cafeteria e um minimercado; e hospedagem em apartamentos, casas e alojamentos.

 


Foto: Reprodução Termas São João

 

ASAS Albring
Localizado na Linha Pauli, comunidade de Linha Beato Roque, o ASAS Albring Sistemas Agroflorestais é um projeto que visa a sustentabilidade fornecendo produtos orgânicos para a comercialização e tem por objetivo fortalecer o ecoturismo e a educação ambiental.

Como todo sistema agroflorestal ele combina o plantio de árvores com diferentes cultivos de alimentos fazendo o uso sustentável do solo e da água. Além de comercializar os alimentos, o ASAS também trabalha para fortalecer o ecoturismo, colocando-se como um exemplo de produção sustentável. O local dispõe ainda de 09 espécies de abelhas nativas sem ferrão, piscicultura, plantas medicinais e bioconstruções.

 


Foto: Reprodução redes sociais

Galeria de Imagens

*** É expressamente proibida a reprodução de qualquer fotografia e texto aqui publicados sem a atribuição dos devidos créditos à autora. Dúvidas e sugestões podem ser enviadas ao e-mail jessicagedel@gmail.com

img
Jessica Edel

Com início no meio jornalístico antes mesmo de iniciar a graduação, já passei por veículos de rádio, televisão, web, inclusive com breve colaboração ao Uol.
Após ter a oportunidade de trabalhar em diferentes meios, decidi me dedicar ao que mais me cativa: o jornalismo de Turismo.
Aqui no Notas de Viagem exponho de uma forma literária minhas experiências em diferentes destinos pelo Sul do país.